Visualizar as mensagens categorizadas de acordo com: Profissional

História do Visagismo: conheça mais sobre esta trajetória

Posted by Nana in 1, Profissional, Visagismo | 0 comments

16.04.19

Personalização, variedade de estilos e originalidade são conceitos que estão em alta. O que muita gente não sabe é que eles têm tudo a ver com a história do visagismo. É normal uma roupa ficar muito bem em uma pessoa, com um tipo de corpo e um tom de pele, e não valorizar em nada outro indivíduo. O mesmo acontece com cores de maquiagem, como batons e sombras, por exemplo. Tudo isso tem a ver com conceitos como harmonização, personalização e temperamento, que são estudados há muitos anos. Na prática, a história do visagismo começou a ser escrita há milênios. O conceito pode ser observado mesmo em culturas africanas ou indígenas mais antigas. Porém, o nome visagismo, como um pensamento melhor consolidado, só surgiu em meados do século XX por meio de um maquiador francês. De lá para cá, ele foi ganhando corpo e hoje é usado por profissionais como consultores de imagem e estilo, cabeleireiros e designers de moda, por exemplo. Saiba mais sobre a história do visagismo e entenda melhor como funciona esse conceito, que pode te ajudar a encontrar um estilo próprio e construir uma marca pessoal forte, baseada em suas características físicas e temperamento.

Conheça a história do visagismo, que começou antes de Cristo

A história do visagismo começa muito antes dele ter esse nome. Estudiosos apontam que uma das primeiras aparições do tema foi por meio do filósofo e matemático Pitágoras. Mesmo há mais de 500 a.C, ele já estudava sobre assuntos como harmonia, proporção, estética e beleza. Outros cientistas citaram Pitágoras e deram continuidade ao seu trabalho mesmo aproximadamente dois mil anos depois. Esse é caso de grandes nomes como Isaac Newton, Albert Einstein e Johannes Kepler. Mais um grande nome que deu sua contribuição para a história do visagismo foi Phidias, escultor que viveu há quase 500 a.C. Além de suas famosas esculturas, ele também contribuiu para o mundo das artes com pinturas e construções. De acordo com o poeta Romano Cícero, Phidias foi o autor das esculturas mais perfeitas vistas até então. Além disso, atribui-se a ele a chamada proporção áurea. Também conhecido como número de ouro, foi muito usado em pinturas renascentistas, além de se fazer presente na música, na arquitetura e até no cinema. E foi por meio de Hipócrates que a história do visagismo começou a ganhar novos capítulos. Ainda antes de Cristo, os elementos dos temperamentos do visagismo foram revelados em teorias do estudioso conhecido como “pai da medicina”. Foi Hipócrates quem formulou a teoria sobre os quatro temperamentos humanos. São eles: sanguíneo, fleumático, colérico e melancólico. Cada um deles é atribuído a um fluído corporal específico, sendo, respectivamente: sangue, fleuma, bílis amarela e bílis negra. visagismo

A evolução continuou

Já entre os séculos XVIII e XIX, Johann Wolfgang von Goethe elaborou uma teoria de cores baseada na temperatura e no tom de pele de cada indivíduo. A contribuição do alemão foi fundamental para que hoje em dia seja possível encontrar a paleta de cores pessoal, por exemplo. Quem também deixou sua marca na construção da história do visagismo foi Louis Sullivan. O autor da frase “a forma sempre segue a função” mudou conceitos de arquitetura e outras artes aplicadas como design e artes visuais. Isso porque, com essa frase, o arquiteto desafiava criadores de obras esteticamente muito bonitas a mostrarem qual é a sua real função. Portanto, não bastava ser autor de uma construção bela se ela não fosse funcional ou confortável, por exemplo. Dessa forma, passou-se a priorizar a utilidade, e não a aparência. O conceito faz parte da história do visagismo porque se aplica perfeitamente a essa técnica. Não adianta, por exemplo, adotar um corte de cabelo muito bonito, mas que requer cuidados especiais diários que não se encaixam na rotina de uma pessoa. Contudo, foi só no ano de 1936 que o maquiador francês Fernand Audry reuniu todos os conhecimentos descritos aqui e criou o termo visagismo. A palavra deriva de visage, que em francês quer dizer rosto. A ideia de Audry era mostrar como era possível realçar a beleza natural de cada pessoa usando algumas técnicas que levam em consideração a cor da pele e o formato do rosto, por exemplo. Para ele, essa era a arte de disfarçar imperfeições e chamar a atenção para aquilo que cada um tem de mais bonito. Sendo assim, o visagismo reúne técnicas para tornar a aparência das pessoas mais harmoniosa, mas de forma personalizada. E então, você já conhecia todos estes detalhes sobre a história do Visagismo? Aproveite e compartilhe este artigo com suas colegas!

4 passos para construir uma marca pessoal forte

Posted by Nana in 1, Pessoal, Profissional | 0 comments

08.03.19

Conquistar objetivos pessoais ou profissionais depende muito do nosso empenho, certo? E um dos pontos que devemos estar sempre atentos é à nossa marca pessoal. Todos nós temos uma, mas nem sempre essa marca pessoal é forte o suficiente para nos ajudar a atingir nossas metas. Para te ajudar nesse processo de construção de imagem, vou falar um pouco mais sobre o assunto e ainda te dar dicas de como conquistar uma marca pessoal forte. Confira!

O que é marca pessoal?

Muita gente pode confundir a marca pessoal com o marketing ou o branding pessoal. Para tentar explicar facilmente o que é uma marca pessoal, vou fazer uma analogia. Imagine um produto que foi criado para ser vendido, como uma camisa. Ela tem diversas características. Pode ser fácil de passar ou amassar com facilidade, pode ter uma cor diferenciada ou simplesmente ser branca. Seu tecido pode ser macio e agradável, ou áspero e pinicar na pele, por exemplo. Para vender essa camisa, o fabricante vai precisar usar técnicas de marketing. Assim, vai procurar ressaltar as características positivas, ou até mesmo atrelar aquele produto à uma causa especial. Conosco acontece basicamente da mesma maneira. Nós temos as nossas características, sejam elas físicas ou não. E essa é a nossa marca pessoal. Isso quer dizer que todos nós temos uma marca pessoal. Geralmente, ela é formada por aquela característica que temos e que mais se destaca. Seja o jeito de falar, a empatia, ou outro aspecto que se sobressai entre os demais. Agora, para ter uma marca pessoal forte é preciso trabalhar o branding pessoal. Dessa maneira, você vai conseguir tomar consciência das características que precisa reforçar, e daquelas que precisa trabalhar para melhorar, como acontece no marketing. Mas por que cuidar da marca pessoal e torná-la forte? Essa pergunta tem uma resposta muito simples: para melhorar todos os aspectos da sua vida. Ser uma pessoa melhor dentro e fora do trabalho, conseguir uma promoção, sentir-se mais confiante e segura são só alguns dos exemplos do que uma marca pessoal forte pode fazer na sua vida.

Mas como construir uma marca pessoal forte?

Ter uma marca pessoal forte não é algo que se conquista de uma hora para a outra. É importante que você saiba que será uma construção, e que vai exigir esforços dia após dia. Ou seja, é uma trajetória que envolve conhecimento, estudo e aperfeiçoamento constante. Para te ajudar, separei algumas dicas.

1. Busque autoconhecimento

Conhecer seus pontos fortes e aqueles que precisam ser melhorados é um dos primeiros passos para construir uma imagem pessoal marcante. Pode soar estranho, mas muitas pessoas não conhecem muito bem a si mesmas, a ponto de não saberem nem mesmo do que gostam de verdade. Então, se você quer ter uma imagem pessoal forte, comece buscando autoconhecimento. Existem muitas maneiras de você fazer isso. Uma delas é buscando a ajuda de um psicólogo, fazendo terapia, por exemplo. Além disso, busque fazer reflexões sobre você mesmo e conversar com pessoas próximas, de confiança e que você julgue que são capazes de te dar conselhos.

2. Trabalhe a sua imagem pessoal

Marca pessoal Depois de saber quais são seus pontos fracos e fortes, é hora de trabalhar a sua imagem pessoal. Uma das formas de começar é de fora para dentro. Isso acontece em um processo de consultoria de imagem e estilo, por exemplo. Assim, o profissional consegue avaliar quem você é, entender quais são seus objetivos e analisa a sua aparência para saber se ela condiz com a imagem que você quer passar para as pessoas. Mais uma vez, esse é um processo que depende muito do cliente estar aberto ao novo e à mudança, por exemplo. No geral, os resultados são muito positivos. Mas, claro, você pode tentar fazer essas mudanças por si só. Pesquise bastante, leia e estude sobre assuntos como visagismo, paleta de cores pessoais, descubra qual é o seu tipo de corpo e saiba quais peças caem melhor em você, por exemplo. Porém, trabalhar a sua imagem pessoal também envolve aspectos que vão muito além da aparência. Por isso mesmo, antes de começar essa etapa, você precisa de um bom nível de conhecimento sobre si mesmo.

3. Amplie sua rede de contatos

Outra maneira de trabalhar a sua marca pessoal é ampliando a sua rede de contatos, o famoso networking. Você pode fazer isso através das redes sociais, por exemplo. Além disso, é possível frequentar eventos na sua área, participar de palestras e workshops para conhecer pessoas que atuam no mesmo ramo que você. Também dá para atrair pessoas nas redes sociais por meio da produção de conteúdo. Divida com as pessoas as suas experiências e os seus conhecimentos. Crie conversas nas redes sociais para conquistar mais seguidores e, assim, ampliar sua rede de contatos.

4. Seja coerente

E não menos importante: seja sempre coerente. Essa é uma dica que vale para a vida toda, mas principalmente para quem quer ter uma marca pessoal forte. Não adianta você querer passar uma imagem de uma pessoa que você não é. Isso vale tanto para situações presenciais como online, em redes sociais e blogs, por exemplo. É por isso que é tão importante ter autoconhecimento. Assim, você vai descobrir de que maneira pode potencializar o que tem de bom e criar sua marca pessoal em cima disso. E por fim, não tente copiar comportamentos ou atitudes de outras pessoas que não tenham nada a ver com a sua personalidade. E então, o que achou das minhas dicas? Aproveite e compartilhe-as em suas redes sociais também!

Consultoria de Imagem X Consultoria de Estilo

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

21.12.18

Muita gente quer contratar uma consultoria para ajudar a se vestir a se maquiar, e até mesmo a se comportar ou encontrar o seu estilo, mas não sabe exatamente o que procurar. Por exemplo, você sabe qual é a diferença entre consultoria de imagem e consultoria de estilo?

Eu já falei aqui no blog sobre as características das consultorias de imagem e de moda. Agora, vou te explicar qual é a diferença entre consultoria de imagem de consultoria de estilo.

Assim, não vai ter erro: você vai saber exatamente qual profissional deve ser procurado na hora de fazer a mudança que precisa na sua vida e na sua imagem. Confira!

Consultoria de imagem é diferente de consultoria de estilo?

Para matar logo a curiosidade, os dois serviços são sim diferentes. Pode até parecer um pouco confuso. Afinal, é comum encontrar ofertas de consultorias de imagem e estilo. Ou seja, os dois ao mesmo tempo!

Isso acontece, basicamente, porque imagem e estilo são complementares, sobretudo para quem quer trabalhar o branding pessoal, por exemplo.

Aplicando técnicas como visagismo para construir uma imagem e encontrar o estilo ideal, é possível aprimorar aspectos da vida pessoal e profissional. É que a consultoria tem o objetivo de ajudar a dar mais confiança e segurança ao cliente.

De maneira geral, é feito um trabalho que começa de fora para dentro. Ao trabalhar o estilo e a imagem pessoal, o cliente se sente empoderado e com autoestima elevada o suficiente para alcançar suas metas.

Então, o que faz um consultor de estilo?

Bom, agora você já sabe que existem diferenças entre a consultoria de imagem e a consultoria de estilo. Mas para entender melhor, vou explicar como funciona cada uma e como se tornar um profissional da área.

Para começar, é importante não confundir estilo com moda. Isso porque o estilo é algo pessoal, que não necessariamente está atrelado a tendências, como acontece no caso da moda.

A moda define padrões a serem seguidos em determinados períodos. É algo mais superficial, ligado à aparência.

Já o estilo tem a ver com personalidade, com a expressão dos sentimentos no jeito de se vestir, no corte de cabelo e no comportamento, por exemplo.

Também chamada de personal stylist ou fashion stylist, uma consultoria de estilo leva o cliente a buscar autoconhecimento e entender como pode expressar a sua personalidade no seu exterior de maneira positiva. E isso, claro, sem perder a sua essência e sem que seja preciso se enquadrar na moda.

Na consultoria de estilo, o cliente aprende a se vestir bem e de maneira adequada, entende qual é o melhor corte de cabelo para o seu formato de rosto e para a imagem que quer passar, além de ter acesso à sua paleta de cores pessoal, escolhendo então aquelas que mais lhe agradar.

Nesse caso, a moda e as tendências podem sim aparecer, mas como ferramentas na construção do estilo pessoal, e não de forma ditatorial.

Então, para oferecer o serviço de consultoria de estilo, é preciso ter em mente que será necessário ter bastante empatia, saber ouvir e entender as dores e os desejos dos clientes.

Além disso, é importante estar atento às tendências, à moda e conhecer técnicas que possam ser aplicadas durante a consultoria de estilo, como é o caso do visagismo.

Entretanto, não existe uma faculdade ou um curso reconhecido que forme profissionais nesse segmento. Você pode procurar por cursos livres na área para se aprimorar. Além disso, é importante buscar conhecimento em oficinas, palestras e workshops sobre maquiagem, comportamento, moda, entre outros assuntos.

Agora, se você quer fazer um curso de nível superior ou técnico com a intenção de trabalhar com consultoria de estilo, os mais indicados são aqueles relacionados à psicologia, moda e design, por exemplo.

E a consultoria de imagem, como funciona?

Quando falamos em consultoria de imagem, ela costuma estar atrelada, também, ao estilo. Isso porque o ideal é sempre manter a personalidade e os gostos pessoais de cada pessoa, de maneira que ela se sinta segura com a imagem construída.

No entanto, a consultoria de imagem vai um pouco além das características físicas como cabelo e roupas. Ela passa também pelo comportamento, e ajuda o cliente a encontrar caminhos de trabalhar seu branding pessoal ao construir uma imagem que corresponda à maneira como quer ser visto pelas pessoas.

Você deve saber que nem sempre conseguimos fazer com que as pessoas nos percebam do jeito que queremos, certo? É exatamente nesse aspecto que uma consultoria de imagem pode ajudar, construindo até mesmo uma boa reputação.

Uma consultoria de imagem pode ser prestada até mesmo para empresas, por exemplo. A finalidade, na maioria dos casos, é ajudar os funcionários a se apresentarem de maneira que reflita a filosofia da companhia.

Existem alguns pontos em comum entre a consultoria de imagem e a de estilo. Um deles é o incentivo pela busca do autoconhecimento pelos clientes.

Além disso, os dois serviços procuram usar ferramentas como as tendências da moda e técnicas de visagismo para ajudar os clientes a passarem uma imagem positiva sem deixar de lado suas características.

Sendo assim, as recomendações para seguir a carreira e prestar consultoria de imagem são, basicamente, as mesmas que dei no tópico anterior sobre a consultoria de estilo.

E então, ficou mais claro quais são as diferenças entre Consultoria de Imagem e Consultoria de Estilo? Se ainda restou alguma dúvida, deixe-a para mim pelos comentários! 

Consultoria de imagem com maternidade: como conciliar

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

23.11.18

São muitos os desafios de prestar consultoria de imagem e estilo. No entanto, a maioria deles pode ser superado com organização e planejamento. Esse é o caso da maternidade, que deixa muitas mulheres inseguras quanto às suas carreiras.

No geral, mulheres que decidem empreender precisam se desdobrar para dar conta dos seus filhos: os biológicos e os negócios, que são como filhos. Nessa caminhada, podem surgir muitos questionamentos, inclusive sobre a escolha de trabalhar de forma independente com consultoria de imagem. 

Se, por um lado, o trabalho formal dá uma sensação maior de estabilidade, por outro, tende a ter horários que não são nem um pouco flexíveis. Esse é um dos fatores que leva muitas mulheres a deixarem as empresas para criar seus próprios negócios. 

Porém, o que muitas se esquecem é que um negócio exige tanta dedicação quanto a maternidade, sobretudo nos primeiros anos.

E é assim também no caso de uma consultoria de imagem e estilo, que precisa de empenho para conquistar e fidelizar suas clientes. Isso toma tempo, exige esforço e, talvez, mais horas de trabalho do que as dedicadas a um trabalho formal, por exemplo.

Para ajudar na tarefa de conciliar a maternidade com a consultoria de imagem, reuni algumas dicas que podem ser fundamentais para vencer mais esse desafio. Confira!

Organize os horários da consultoria de imagem

Ter flexibilidade de horário é o que faz muitas mulheres empreenderem, nem que seja em um pequeno negócio. Estar perto dos filhos ao mesmo tempo em que trabalha pode dar a sensação de ter tudo sob controle. Mas nem sempre é verdade.

Apesar de querer dar conta de tudo ao mesmo tempo, o fato é que cada aspecto da vida precisa ser tratado individualmente. Assim, você garante que está se dedicando 100% à tarefa que se dispôs a realizar, nem que seja por algumas horas.

Não só a quantidade de tempo gasta em uma atividade é o que importa. A qualidade e a dedicação nesse período podem ser fundamentais para alcançar o sucesso.

Por isso, é muito importante organizar os seus horários. Em uma consultoria de imagem, pode ser que você precise visitar clientes e lojas, por exemplo.

O ideal, é que faça isso sem precisar levar os filhos. Prefira realizar tarefas externas quando eles estiverem na escola ou sob a responsabilidade de outra pessoa. Dessa maneira, você vai poder se concentrar totalmente no seu trabalho e fazer uma boa consultoria de imagem.

Aproveite o seu tempo livre 

Consultoria de Imagem

Ao organizar os seus horários para prestar consultoria de imagem, claro, é preciso prever o tempo de descanso. Nessas horas, você pode aproveitar para pegar o filho no colégio, ajudar com o dever de casa, ou simplesmente brincar e desfrutar de momentos de lazer com o pequeno. 

Sendo assim, é fundamental prever um horário para desacelerar e também dedicar tempo a você, ao seu branding pessoal, e ao seu filho. Não adianta muito deixar um emprego formal para trabalhar em casa se o seu dia será dominado por tarefas profissionais. A ideia é justamente tentar equilibrar a maternidade com a vida profissional. 

Aja como se estivesse trabalhando fora

Nos horários que determinar para trabalhar, aja como se estivesse em uma empresa, trabalhando como consultora de imagem fora de casa. Para isso, pode ser importante ter um cantinho, como um escritório ou um local mais reservado para que consiga se desligar das tarefas domésticas e dos filhos, para então se dedicar ao negócio.

Também é importante avisar aos familiares e amigos que, apesar de estar em casa, você está trabalhando. Isso pode evitar interrupções e visitas no meio do dia, o que pode comprometer a sua produtividade.

Delegue funções para ter sucesso com a consultoria de imagem

Ter pessoas de confiança trabalhando junto pode ser essencial para dar uma consultoria de imagem completa. Com tantas tarefas a serem realizadas, é quase impossível dar conta de tudo e, ainda, com qualidade. 

Por isso, é importante desapegar de certas funções que você não domina e que não estão diretamente ligadas ao seu trabalho na consultoria de imagem. Esse é o caso da contabilidade, por exemplo. 

No entanto, também dá para delegar outras tarefas para que tenha mais tempo para se dedicar à profissão de consultora de imagem e à maternidade.

Ter uma faxineira, uma babá, ou contar com a ajuda do pai do seu filho pode ajudar, e muito, a superar o desafio de empreender e ser mãe ao mesmo tempo.

E então, o que você acha de conciliar a maternidade com uma carreira como consultora de imagem? Ficou alguma dúvida sobre o assunto? Deixe em um comentário, terei o maior prazer em lhe ajudar! Até a próxima!

Qual a maquiagem certa para meu tipo de pele

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

19.10.18

Saber qual é o seu tipo de pele e qual é a tonalidade dela são os primeiros passos para escolher a maquiagem ideal em termos de textura e de cor. Isso evita que você saia de casa com a make craquelada ou com o rosto brilhando demais, como se estivesse molhado.

Já falei aqui no blog sobre as melhores cores de maquiagem para cada tom de pele. Agora, vou te apresentar cada tipo de pele e mostrar qual é a maquiagem ideal para cada um deles.

Mas, antes de começar, é importante lembrar que a sua pele precisa de cuidados especiais, e é recomendado sempre buscar um dermatologista para indicar o tratamento adequado.

Aqui, vou falar apenas sobre como atenuar os aspectos negativos de cada tipo de pele com maquiagem, e não sobre como resolver definitivamente o problema, ok? Então, vamos às dicas!

Quais são os tipos de pele?

Basicamente, os tipos de pele se baseiam no quanto elas são oleosas, e em qual parte do rosto esse sebo se concentra. Sendo assim, são quatro os tipos de pele: secas, mistas, oleosas e normais.

As peles secas, como o próprio nome sugere, têm pouca oleosidade e costumam ser mais opacas, com pouco viço. Elas ficam ressecadas com mais facilidade, o que pode resultar em uma maquiagem craquelada dependendo do produto escolhido e do tratamento dado à pele.

Peles secas costumam exigir mais cuidados do que as demais, pois têm tendência a serem sensíveis e a ficarem irritadas com facilidade.

Quanto às peles mistas, costumam ser secas em algumas partes e oleosas em outras, como na zona T, que engloba testa, nariz e queixo. O grande desafio na hora de escolher a maquiagem ideal para esse tipo de pele é encontrar um produto que esteja no meio do caminho, servindo tanto para as áreas secas quanto para as oleosas.

Já as peles oleosas têm mais concentração de sebo. Elas requerem cuidados especiais, pois a oleosidade ajuda na formação de cravos e espinhas. Se houver uma quantidade maior de imperfeições, a tendência é a pessoa querer usar maquiagens mais encorpadas para esconder melhor, o que pode agravar o problema, pois são produtos, geralmente, mais oleosos.

Nas peles normais, há o equilíbrio na produção de oleosidade. Esse é o tipo de pele mais desejado, mas não muito comum em pessoas adultas. Para se ter uma ideia, crianças costumam ter pele normal. Com a chegada da adolescência, as mudanças hormonais tendem a interferir e mudar as características da pele.

Qual é a maquiagem ideal para cada tipo de pele?

Maquiagem para cada tipo de pele

Como têm características diferentes, o ideal é escolher produtos com a textura certa para cada tipo de pele. A ideia é sempre buscar o equilíbrio da oleosidade, atenuando os aspectos negativos de cada tipo de pele, dando mais segurança na hora de compor o visual!

Pele seca

Alguns cuidados são essenciais para quem tem pele seca. Usar hidrante é um deles. Você pode até passar antes de aplicar a maquiagem, o que ajuda a evitar o ressecamento ao longo do dia, já que estamos falando de um tipo de pele que pode sofrer com fatores externos como ar condicionado e poluição.

Se estiver com o ressecamento acentuado, o uso do primer também é muito recomendado para uniformizar a textura da pele e manter ela intacta por mais tempo.

Outra dica para quando a pele estiver seca demais é usar bases líquidas, que penetram e espalham melhor, dando menos destaque até às partes craqueladas, se for o caso. Se a pele não estiver tão seca assim, dá para usar bases mais encorpadas.

No preparo da pele, usar produtos perolados ou com textura mais oleosa e brilhante também pode ajudar a disfarçar o ressecamento. O ideal é evitar produtos em pó. Por isso, o mais recomendado é apostar até em sombras e blushes líquidos ou em creme.

Agora, se você não quiser abrir mão do pó compacto, principalmente para dar um toque final, o ideal é investir em um produto mineral, que não resseca a pele e pode até ajudar na hidratação.

Para o dia a dia ou quando quiser uma maquiagem mais natural, é possível usar um BB cream, que costuma ter como função hidratar a pele. Na hora da compra, opte por um que tenha textura mais fluida. Outra vantagem desse tipo de produto é que costuma vir com fator de proteção solar (FPS).

Pele mista

O importante para esse tipo de pele é tentar equilibrar a oleosidade. Fique de olho nas recomendações para peles secas e para peles mistas e aplique as dicas que se adequam à textura de cada parte da sua pele.

No geral, o ideal são bases mais secas, que fiquem no meio termo entre textura liquida e encorpada. Como a oleosidade tende a se concentrar na zona T, o recomendado é só usar pó compacto nessa região, a menos que seja um produto mineral, como citei no tópico anterior.

Observe o quão secas são as demais áreas. Se forem muito ressecadas, aposte em sombras e blushes líquidos ou cremosos. Caso o ressecamento esteja controlado, dá para usar produtos em pó.

Pele oleosa

Um dos maiores problemas na hora de maquiar esse tipo de pele é que a duração costuma ser menor, uma vez que a concentração de sebo dificulta a fixação da make. O uso do primer é recomendado para todos os tipos de pele mas, para as oleosas, pode ser ainda mais por conta disso.

O pulo do gato na fixação da maquiagem, principalmente para quem tem pele oleosa, é passar um pouquinho de pó compacto antes mesmo de aplicar a base. Isso ajuda a segurar as outras camadas por mais tempo.

Quanto à base, o ideal é apostar nas mais finas, que não costumam ter óleo na composição (oil free). Produtos mais encorpados tendem a ser mais oleosos, ou terem textura mais brilhante, o que pode acentuar essa característica da pele, em vez de amenizar.

Outra dica de base é aquelas que são em pó, já que costumam ter textura opaca. Como a pele já é oleosa, não vai ficar totalmente sem brilho. Blushes e sombras também podem ser usadas em pó sem problemas.

E não é porque a pele é oleosa que não precisa de hidratação! Na verdade, todo tipo de pele necessita de hidrante. Claro que sempre com a indicação certa. No caso das peles oleosas, os produtos ideais são aqueles com efeito mate, ou seja, opaco.

Para quem quer controlar o excesso de brilho durante o dia, o ideal é andar com o pó compacto na bolsa e reaplicar durante o dia.

Pele normal

A pele normal é uma das mais fáceis de lidar em termos de maquiagem. Isso porque já tem o equilíbrio da oleosidade. E como não tem tendência a manchas ou à acne, pode ser ideal apostar em bases com textura mais leve e natural.

No restante do rosto, a escolha entre produtos em pó ou em creme vai depender do gosto pessoal, já que ambos podem cair bem. Blushes e sombras podem ser aplicados sem medo em diferentes texturas, de acordo com o acabamento desejado.

E então, gostou das minhas dicas? Se ficou com alguma dúvida, entre em contato!

6 dicas para melhorar seu branding pessoal como consultora

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

13.06.18

Marcas e empresas trabalham sua imagem e a percepção das pessoas sobre elas, a fim de ter uma identidade única, torna-se referência no ramo e, claro, vender cada vez mais. Agora, o que nem todos sabem é que, assim como as marcas, também devemos nos preocupar com o branding pessoal como forma de se destacar pessoal e profissionalmente.

Esse é um assunto que vem sendo tratado cada dia mais já que, em um mundo corporativo cada vez mais exigente e competitivo, cada detalhe faz a diferença para quem quer sobressair.

Competências técnicas e diplomas estão deixando de ser diferenciais, já que estão mais acessíveis com o avanço da internet. Dessa forma, cresce a busca das empresas por profissionais que tenham, também, habilidades comportamentais adequadas ao cargo e à companhia.

Como consultora de imagem e estilo, é essencial que você busque seu diferencial para conquistar mais e mais clientes. Trabalhar o branding pessoal, no entanto,  é um processo que pode levar bastante tempo. Mas, não desanime, você vai chegar lá!

Para te ajudar, listei 6 dicas importantes sobre como você pode alavancar o seu branding pessoal como uma consultora de imagem e estilo. Assim, você pode conseguir ser referência no que faz e ganhar notoriedade que te renderá cada vez mais clientes. Confira!

1. Estabeleça objetivos para o seu branding pessoal

Para começar, é importante que você saiba onde quer chegar pessoal e/ou profissionalmente. Pense em como quer estar daqui a um, dois ou cinco anos. Você quer ser reconhecida como a melhor consultora de imagem e estilo da sua cidade, estado, ou do Brasil, por exemplo?

Os objetivos são muito pessoais, mas é importante pensar de maneira macro e destrinchar os passos que você precisa dar, e o que precisa conquistar até chegar lá. Lembre-se de que alcançar um objetivo é um processo composto por várias partes menores.

2. Trabalhe seus pontos fracos e fortes

Coloque em um papel seus pontos fortes e o que precisa ser desenvolvido. Pense em maneiras de ressaltar o que tem de melhor e como pode evoluir naquilo que ainda não está muito bom. Aqui, entram tanto habilidades técnicas quanto comportamentais.

Para ser mais assertiva na definição dos seus pontos fortes e fracos, converse com as pessoas e ouça a percepção que elas têm sobre você. Involuntariamente, você já vem construindo seu branding pessoal. Agora, é a hora de tomar as rédeas e usá-lo para alcançar os seus objetivos!

Nesse sentido, conversar com pessoas da sua área, e até amigos, pode ajudar a entender como você é vista, para não ficar presa somente a percepção que tem de si mesma, o que pode ser equivocado.

Esse pode ser um dos tópicos mais difíceis, pois requer que você esteja aberta a ouvir o feedbacks das pessoas e, claro, não ser resistente para considerar melhorar os pontos levantados por elas.

3. Sua aparência e seu comportamento também dizem muito sobre você

Outra dica para construir seu branding pessoal é observar se a sua aparência e o seu comportamento estão alinhados com os objetivos que você traçou e com os pontos fortes que você quer destacar.

Uma consultora de imagem e estilo precisa se vestir de maneira que se sinta confiante, pois isso vai ser percebido por todos, inclusive suas clientes. E criar uma relação de confiança é extremamente importante nessa hora!

Se estiver com dificuldade para encontrar o seu estilo ou se vestir bem no trabalho, você pode buscar ajuda na internet ou mesmo fazer cursos que te ensinem técnicas de visagismo para entender quais são as suas cores, roupas e estilo ideal, de acordo com suas características físicas e sua personalidade. 

Sobre o aspecto comportamental, vai variar de pessoa para pessoa. Mas, no geral, adote uma postura proativa, tenha empatia, escute as pessoas, seja gentil e evite assuntos polêmicos ou que possam gerar discussões e mal estar.

4. Produza conteúdo nas redes sociais

Dicas para branding pessoal

Uma maneira fácil e praticamente sem custos de fortalecer seu branding pessoal é produzir conteúdo nas redes sociais. Você pode até criar um blog para falar sobre suas experiências e percepções.

De maneira geral, é possível compartilhar conteúdo relevante nas redes ou, melhor ainda, criar o seus próprios textos falando sobre algo que viveu ou uma experiência que teve. Além das pessoas gostarem de ouvir histórias umas das outras, você pode ajudá-las com a sua vivência.

Além disso, é importante mostrar que está atualizada e falar sobre tendências, novos produtos e tecnologias, por exemplo.

Essa tática vai te ajudar a engajar clientes e potenciais clientes, além de alcançar cada vez mais pessoas que se interessem pelo que você tem a dizer. Construir uma audiência pode levar tempo, assim como o branding pessoal é uma estratégia de longo prazo. Para começar a atrair seguidores e leitores, você pode oferecer promoções e descontos, por exemplo.

5. Faça conexões com pessoas e empresas

O famoso networking não poderia ficar de fora das dicas para se construir um bom branding pessoal. Você já vai começar a fazer isso quando produzir conteúdo relevante na internet. Mas não esteja presa somente ao mundo online.

Onde for, seja a lazer ou a trabalho, esteja atenta às oportunidades de conhecer pessoas e representantes de marcas e estabelecer uma conexão com elas. O mundo corporativo e os negócios são feitos com base nos relacionamentos e nas parcerias que criamos. Não subestime a ajuda que as pessoas podem te dar para alcançar os seus objetivos!

E não se esqueça: não deixe para procurar as pessoas somente nos momentos em que estiver precisando delas. Mantenha contato, puxe assunto, mostre interesse por ela e por suas atividades. Estabeleça conexões dia a após dia, seja por meio de uma conversa online, um almoço ou um encontro.

6. Mantenha-se atualizada

Renovar-se é fundamental para quem quer construir uma imagem pessoal segura e positiva. Esteja atenta às tendências, seja de moda, comportamento ou até uma rede social nova que surja. Estar antenada ajuda a construir uma percepção de que você é uma pessoa em que se pode confiar, pois além da bagagem e da capacidade técnica, ainda conhece as tendências!

E então, o que achou de minhas dicas de hoje? Se ficou alguma dúvida, mande nos comentários abaixo!