Visualizar as mensagens categorizadas de acordo com: Profissional

Consultoria de imagem com maternidade: como conciliar

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

23.11.18

São muitos os desafios de prestar consultoria de imagem e estilo. No entanto, a maioria deles pode ser superado com organização e planejamento. Esse é o caso da maternidade, que deixa muitas mulheres inseguras quanto às suas carreiras.

No geral, mulheres que decidem empreender precisam se desdobrar para dar conta dos seus filhos: os biológicos e os negócios, que são como filhos. Nessa caminhada, podem surgir muitos questionamentos, inclusive sobre a escolha de trabalhar de forma independente com consultoria de imagem. 

Se, por um lado, o trabalho formal dá uma sensação maior de estabilidade, por outro, tende a ter horários que não são nem um pouco flexíveis. Esse é um dos fatores que leva muitas mulheres a deixarem as empresas para criar seus próprios negócios. 

Porém, o que muitas se esquecem é que um negócio exige tanta dedicação quanto a maternidade, sobretudo nos primeiros anos.

E é assim também no caso de uma consultoria de imagem e estilo, que precisa de empenho para conquistar e fidelizar suas clientes. Isso toma tempo, exige esforço e, talvez, mais horas de trabalho do que as dedicadas a um trabalho formal, por exemplo.

Para ajudar na tarefa de conciliar a maternidade com a consultoria de imagem, reuni algumas dicas que podem ser fundamentais para vencer mais esse desafio. Confira!

Organize os horários da consultoria de imagem

Ter flexibilidade de horário é o que faz muitas mulheres empreenderem, nem que seja em um pequeno negócio. Estar perto dos filhos ao mesmo tempo em que trabalha pode dar a sensação de ter tudo sob controle. Mas nem sempre é verdade.

Apesar de querer dar conta de tudo ao mesmo tempo, o fato é que cada aspecto da vida precisa ser tratado individualmente. Assim, você garante que está se dedicando 100% à tarefa que se dispôs a realizar, nem que seja por algumas horas.

Não só a quantidade de tempo gasta em uma atividade é o que importa. A qualidade e a dedicação nesse período podem ser fundamentais para alcançar o sucesso.

Por isso, é muito importante organizar os seus horários. Em uma consultoria de imagem, pode ser que você precise visitar clientes e lojas, por exemplo.

O ideal, é que faça isso sem precisar levar os filhos. Prefira realizar tarefas externas quando eles estiverem na escola ou sob a responsabilidade de outra pessoa. Dessa maneira, você vai poder se concentrar totalmente no seu trabalho e fazer uma boa consultoria de imagem.

Aproveite o seu tempo livre 

Consultoria de Imagem

Ao organizar os seus horários para prestar consultoria de imagem, claro, é preciso prever o tempo de descanso. Nessas horas, você pode aproveitar para pegar o filho no colégio, ajudar com o dever de casa, ou simplesmente brincar e desfrutar de momentos de lazer com o pequeno. 

Sendo assim, é fundamental prever um horário para desacelerar e também dedicar tempo a você, ao seu branding pessoal, e ao seu filho. Não adianta muito deixar um emprego formal para trabalhar em casa se o seu dia será dominado por tarefas profissionais. A ideia é justamente tentar equilibrar a maternidade com a vida profissional. 

Aja como se estivesse trabalhando fora

Nos horários que determinar para trabalhar, aja como se estivesse em uma empresa, trabalhando como consultora de imagem fora de casa. Para isso, pode ser importante ter um cantinho, como um escritório ou um local mais reservado para que consiga se desligar das tarefas domésticas e dos filhos, para então se dedicar ao negócio.

Também é importante avisar aos familiares e amigos que, apesar de estar em casa, você está trabalhando. Isso pode evitar interrupções e visitas no meio do dia, o que pode comprometer a sua produtividade.

Delegue funções para ter sucesso com a consultoria de imagem

Ter pessoas de confiança trabalhando junto pode ser essencial para dar uma consultoria de imagem completa. Com tantas tarefas a serem realizadas, é quase impossível dar conta de tudo e, ainda, com qualidade. 

Por isso, é importante desapegar de certas funções que você não domina e que não estão diretamente ligadas ao seu trabalho na consultoria de imagem. Esse é o caso da contabilidade, por exemplo. 

No entanto, também dá para delegar outras tarefas para que tenha mais tempo para se dedicar à profissão de consultora de imagem e à maternidade.

Ter uma faxineira, uma babá, ou contar com a ajuda do pai do seu filho pode ajudar, e muito, a superar o desafio de empreender e ser mãe ao mesmo tempo.

E então, o que você acha de conciliar a maternidade com uma carreira como consultora de imagem? Ficou alguma dúvida sobre o assunto? Deixe em um comentário, terei o maior prazer em lhe ajudar! Até a próxima!

Qual a maquiagem certa para meu tipo de pele

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

19.10.18

Saber qual é o seu tipo de pele e qual é a tonalidade dela são os primeiros passos para escolher a maquiagem ideal em termos de textura e de cor. Isso evita que você saia de casa com a make craquelada ou com o rosto brilhando demais, como se estivesse molhado.

Já falei aqui no blog sobre as melhores cores de maquiagem para cada tom de pele. Agora, vou te apresentar cada tipo de pele e mostrar qual é a maquiagem ideal para cada um deles.

Mas, antes de começar, é importante lembrar que a sua pele precisa de cuidados especiais, e é recomendado sempre buscar um dermatologista para indicar o tratamento adequado.

Aqui, vou falar apenas sobre como atenuar os aspectos negativos de cada tipo de pele com maquiagem, e não sobre como resolver definitivamente o problema, ok? Então, vamos às dicas!

Quais são os tipos de pele?

Basicamente, os tipos de pele se baseiam no quanto elas são oleosas, e em qual parte do rosto esse sebo se concentra. Sendo assim, são quatro os tipos de pele: secas, mistas, oleosas e normais.

As peles secas, como o próprio nome sugere, têm pouca oleosidade e costumam ser mais opacas, com pouco viço. Elas ficam ressecadas com mais facilidade, o que pode resultar em uma maquiagem craquelada dependendo do produto escolhido e do tratamento dado à pele.

Peles secas costumam exigir mais cuidados do que as demais, pois têm tendência a serem sensíveis e a ficarem irritadas com facilidade.

Quanto às peles mistas, costumam ser secas em algumas partes e oleosas em outras, como na zona T, que engloba testa, nariz e queixo. O grande desafio na hora de escolher a maquiagem ideal para esse tipo de pele é encontrar um produto que esteja no meio do caminho, servindo tanto para as áreas secas quanto para as oleosas.

Já as peles oleosas têm mais concentração de sebo. Elas requerem cuidados especiais, pois a oleosidade ajuda na formação de cravos e espinhas. Se houver uma quantidade maior de imperfeições, a tendência é a pessoa querer usar maquiagens mais encorpadas para esconder melhor, o que pode agravar o problema, pois são produtos, geralmente, mais oleosos.

Nas peles normais, há o equilíbrio na produção de oleosidade. Esse é o tipo de pele mais desejado, mas não muito comum em pessoas adultas. Para se ter uma ideia, crianças costumam ter pele normal. Com a chegada da adolescência, as mudanças hormonais tendem a interferir e mudar as características da pele.

Qual é a maquiagem ideal para cada tipo de pele?

Maquiagem para cada tipo de pele

Como têm características diferentes, o ideal é escolher produtos com a textura certa para cada tipo de pele. A ideia é sempre buscar o equilíbrio da oleosidade, atenuando os aspectos negativos de cada tipo de pele, dando mais segurança na hora de compor o visual!

Pele seca

Alguns cuidados são essenciais para quem tem pele seca. Usar hidrante é um deles. Você pode até passar antes de aplicar a maquiagem, o que ajuda a evitar o ressecamento ao longo do dia, já que estamos falando de um tipo de pele que pode sofrer com fatores externos como ar condicionado e poluição.

Se estiver com o ressecamento acentuado, o uso do primer também é muito recomendado para uniformizar a textura da pele e manter ela intacta por mais tempo.

Outra dica para quando a pele estiver seca demais é usar bases líquidas, que penetram e espalham melhor, dando menos destaque até às partes craqueladas, se for o caso. Se a pele não estiver tão seca assim, dá para usar bases mais encorpadas.

No preparo da pele, usar produtos perolados ou com textura mais oleosa e brilhante também pode ajudar a disfarçar o ressecamento. O ideal é evitar produtos em pó. Por isso, o mais recomendado é apostar até em sombras e blushes líquidos ou em creme.

Agora, se você não quiser abrir mão do pó compacto, principalmente para dar um toque final, o ideal é investir em um produto mineral, que não resseca a pele e pode até ajudar na hidratação.

Para o dia a dia ou quando quiser uma maquiagem mais natural, é possível usar um BB cream, que costuma ter como função hidratar a pele. Na hora da compra, opte por um que tenha textura mais fluida. Outra vantagem desse tipo de produto é que costuma vir com fator de proteção solar (FPS).

Pele mista

O importante para esse tipo de pele é tentar equilibrar a oleosidade. Fique de olho nas recomendações para peles secas e para peles mistas e aplique as dicas que se adequam à textura de cada parte da sua pele.

No geral, o ideal são bases mais secas, que fiquem no meio termo entre textura liquida e encorpada. Como a oleosidade tende a se concentrar na zona T, o recomendado é só usar pó compacto nessa região, a menos que seja um produto mineral, como citei no tópico anterior.

Observe o quão secas são as demais áreas. Se forem muito ressecadas, aposte em sombras e blushes líquidos ou cremosos. Caso o ressecamento esteja controlado, dá para usar produtos em pó.

Pele oleosa

Um dos maiores problemas na hora de maquiar esse tipo de pele é que a duração costuma ser menor, uma vez que a concentração de sebo dificulta a fixação da make. O uso do primer é recomendado para todos os tipos de pele mas, para as oleosas, pode ser ainda mais por conta disso.

O pulo do gato na fixação da maquiagem, principalmente para quem tem pele oleosa, é passar um pouquinho de pó compacto antes mesmo de aplicar a base. Isso ajuda a segurar as outras camadas por mais tempo.

Quanto à base, o ideal é apostar nas mais finas, que não costumam ter óleo na composição (oil free). Produtos mais encorpados tendem a ser mais oleosos, ou terem textura mais brilhante, o que pode acentuar essa característica da pele, em vez de amenizar.

Outra dica de base é aquelas que são em pó, já que costumam ter textura opaca. Como a pele já é oleosa, não vai ficar totalmente sem brilho. Blushes e sombras também podem ser usadas em pó sem problemas.

E não é porque a pele é oleosa que não precisa de hidratação! Na verdade, todo tipo de pele necessita de hidrante. Claro que sempre com a indicação certa. No caso das peles oleosas, os produtos ideais são aqueles com efeito mate, ou seja, opaco.

Para quem quer controlar o excesso de brilho durante o dia, o ideal é andar com o pó compacto na bolsa e reaplicar durante o dia.

Pele normal

A pele normal é uma das mais fáceis de lidar em termos de maquiagem. Isso porque já tem o equilíbrio da oleosidade. E como não tem tendência a manchas ou à acne, pode ser ideal apostar em bases com textura mais leve e natural.

No restante do rosto, a escolha entre produtos em pó ou em creme vai depender do gosto pessoal, já que ambos podem cair bem. Blushes e sombras podem ser aplicados sem medo em diferentes texturas, de acordo com o acabamento desejado.

E então, gostou das minhas dicas? Se ficou com alguma dúvida, entre em contato!

6 dicas para melhorar seu branding pessoal como consultora

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

13.06.18

Marcas e empresas trabalham sua imagem e a percepção das pessoas sobre elas, a fim de ter uma identidade única, torna-se referência no ramo e, claro, vender cada vez mais. Agora, o que nem todos sabem é que, assim como as marcas, também devemos nos preocupar com o branding pessoal como forma de se destacar pessoal e profissionalmente.

Esse é um assunto que vem sendo tratado cada dia mais já que, em um mundo corporativo cada vez mais exigente e competitivo, cada detalhe faz a diferença para quem quer sobressair.

Competências técnicas e diplomas estão deixando de ser diferenciais, já que estão mais acessíveis com o avanço da internet. Dessa forma, cresce a busca das empresas por profissionais que tenham, também, habilidades comportamentais adequadas ao cargo e à companhia.

Como consultora de imagem e estilo, é essencial que você busque seu diferencial para conquistar mais e mais clientes. Trabalhar o branding pessoal, no entanto,  é um processo que pode levar bastante tempo. Mas, não desanime, você vai chegar lá!

Para te ajudar, listei 6 dicas importantes sobre como você pode alavancar o seu branding pessoal como uma consultora de imagem e estilo. Assim, você pode conseguir ser referência no que faz e ganhar notoriedade que te renderá cada vez mais clientes. Confira!

1. Estabeleça objetivos para o seu branding pessoal

Para começar, é importante que você saiba onde quer chegar pessoal e/ou profissionalmente. Pense em como quer estar daqui a um, dois ou cinco anos. Você quer ser reconhecida como a melhor consultora de imagem e estilo da sua cidade, estado, ou do Brasil, por exemplo?

Os objetivos são muito pessoais, mas é importante pensar de maneira macro e destrinchar os passos que você precisa dar, e o que precisa conquistar até chegar lá. Lembre-se de que alcançar um objetivo é um processo composto por várias partes menores.

2. Trabalhe seus pontos fracos e fortes

Coloque em um papel seus pontos fortes e o que precisa ser desenvolvido. Pense em maneiras de ressaltar o que tem de melhor e como pode evoluir naquilo que ainda não está muito bom. Aqui, entram tanto habilidades técnicas quanto comportamentais.

Para ser mais assertiva na definição dos seus pontos fortes e fracos, converse com as pessoas e ouça a percepção que elas têm sobre você. Involuntariamente, você já vem construindo seu branding pessoal. Agora, é a hora de tomar as rédeas e usá-lo para alcançar os seus objetivos!

Nesse sentido, conversar com pessoas da sua área, e até amigos, pode ajudar a entender como você é vista, para não ficar presa somente a percepção que tem de si mesma, o que pode ser equivocado.

Esse pode ser um dos tópicos mais difíceis, pois requer que você esteja aberta a ouvir o feedbacks das pessoas e, claro, não ser resistente para considerar melhorar os pontos levantados por elas.

3. Sua aparência e seu comportamento também dizem muito sobre você

Outra dica para construir seu branding pessoal é observar se a sua aparência e o seu comportamento estão alinhados com os objetivos que você traçou e com os pontos fortes que você quer destacar.

Uma consultora de imagem e estilo precisa se vestir de maneira que se sinta confiante, pois isso vai ser percebido por todos, inclusive suas clientes. E criar uma relação de confiança é extremamente importante nessa hora!

Se estiver com dificuldade para encontrar o seu estilo ou se vestir bem no trabalho, você pode buscar ajuda na internet ou mesmo fazer cursos que te ensinem técnicas de visagismo para entender quais são as suas cores, roupas e estilo ideal, de acordo com suas características físicas e sua personalidade. 

Sobre o aspecto comportamental, vai variar de pessoa para pessoa. Mas, no geral, adote uma postura proativa, tenha empatia, escute as pessoas, seja gentil e evite assuntos polêmicos ou que possam gerar discussões e mal estar.

4. Produza conteúdo nas redes sociais

Dicas para branding pessoal

Uma maneira fácil e praticamente sem custos de fortalecer seu branding pessoal é produzir conteúdo nas redes sociais. Você pode até criar um blog para falar sobre suas experiências e percepções.

De maneira geral, é possível compartilhar conteúdo relevante nas redes ou, melhor ainda, criar o seus próprios textos falando sobre algo que viveu ou uma experiência que teve. Além das pessoas gostarem de ouvir histórias umas das outras, você pode ajudá-las com a sua vivência.

Além disso, é importante mostrar que está atualizada e falar sobre tendências, novos produtos e tecnologias, por exemplo.

Essa tática vai te ajudar a engajar clientes e potenciais clientes, além de alcançar cada vez mais pessoas que se interessem pelo que você tem a dizer. Construir uma audiência pode levar tempo, assim como o branding pessoal é uma estratégia de longo prazo. Para começar a atrair seguidores e leitores, você pode oferecer promoções e descontos, por exemplo.

5. Faça conexões com pessoas e empresas

O famoso networking não poderia ficar de fora das dicas para se construir um bom branding pessoal. Você já vai começar a fazer isso quando produzir conteúdo relevante na internet. Mas não esteja presa somente ao mundo online.

Onde for, seja a lazer ou a trabalho, esteja atenta às oportunidades de conhecer pessoas e representantes de marcas e estabelecer uma conexão com elas. O mundo corporativo e os negócios são feitos com base nos relacionamentos e nas parcerias que criamos. Não subestime a ajuda que as pessoas podem te dar para alcançar os seus objetivos!

E não se esqueça: não deixe para procurar as pessoas somente nos momentos em que estiver precisando delas. Mantenha contato, puxe assunto, mostre interesse por ela e por suas atividades. Estabeleça conexões dia a após dia, seja por meio de uma conversa online, um almoço ou um encontro.

6. Mantenha-se atualizada

Renovar-se é fundamental para quem quer construir uma imagem pessoal segura e positiva. Esteja atenta às tendências, seja de moda, comportamento ou até uma rede social nova que surja. Estar antenada ajuda a construir uma percepção de que você é uma pessoa em que se pode confiar, pois além da bagagem e da capacidade técnica, ainda conhece as tendências!

E então, o que achou de minhas dicas de hoje? Se ficou alguma dúvida, mande nos comentários abaixo! 

7 dicas para se vestir bem no trabalho

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

24.05.18

Muita gente tem dificuldade, ou acha que não dá para se vestir no trabalho, principalmente quando ele exige mais formalidade. Mas é possível, sim, montar looks que te deixem segura mesmo na hora de encarar o batente.

Alguns aspectos devem ser levados em consideração, como o dress code e a sua posição no trabalho, já que cargos de chefia costumam exigir um pouco mais de formalidade, mesmo que a empresa não peça trajes sociais.

Observar como seus colegas de trabalho se vestem também pode ser fundamental, principalmente quando você está chegando na empresa. Para te ajudar a se vestir bem no trabalho, seja ele qual for, separei 7 dicas valiosas. Olha só!

#1. Siga o dress code

O dress code nada mais é do que um código de vestimenta, em que a empresa define como os funcionários devem se vestir. Por exemplo, algumas empresas exigem que seus funcionários usem roupas formais.

Outras não chegam a ser tão formais, mas se os empregados precisam lidar com clientes externos, pede-se que se vistam de maneira mais adequada, usando peças como calça que não seja jeans e sapato fechado. Tem ainda empresas que não têm dress code, permitindo, inclusive, o uso de bermuda.

Seja lá qual for o código adotado pela sua companhia, é muito importante segui-lo a risca. Então, nada de jeans em ambientes formais, por exemplo! E fique tranquila, dá para se vestir bem no trabalho independentemente do dress code da empresa.

#2. Peças coringa vs armário para cada ocasião

Na hora de comprar roupas, você precisa fazer uma importante decisão sobre o seu armário: as peças vão servir tanto para trabalhar quanto para sair, ou você vai reservar um espaço para as roupas adequadas a cada ocasião?

Para quem trabalha em ambientes mais informais, sem dress code, fica mais fácil se vestir bem no trabalho e fora dele usando as mesmas peças. Basta evitar algumas mais curtas, como croppeds - veremos mais à frente!

Mas quem trabalha em empresas que exigem mais formalidade, muitas vezes se vê em um grande dilema, principalmente se roupas sociais não fizerem nada o seu estilo. Por isso, é tão importante definir como vai organizar o seu armário, pois isso facilita na hora de ir às compras.

Se você optar por misturar as roupas para trabalhar e as usadas nos momentos de lazer, o ideal é investir em peças coringa. Provavelmente, você ainda vai ter algumas peças que só usa em uma ou outra ocasião, mas comprando peças versáteis você consegue se vestir bem no trabalho e fora dele.

Por exemplo, uma calça básica de alfaiataria pode ser usada no fim de semana com uma t-shirt colorida e, por que não, uma sandália rasteira. Já aquele vestido social preto básico pode cair bem com um cinto mais informal e uma sapatilha ou sandália aberta sem salto.

Mas, se a opção for por distinguir roupas de trabalhar e roupas de sair, a ida às compras muda completamente. Você pode encontrar as peças certas para cada ocasião em seções ou mesmo lojas diferentes, dependendo do seu estilo e do tipo de roupa que precisa usar no trabalho.

#3. Atenção ao comprimento e ao decote

Dicas para se vestir bem no trabalho

Não importa se a empresa em que você trabalha exige roupas sociais ou não tem dress code. É preciso ter bom senso em qualquer ocasião quando se trata do seu ambiente profissional.

Lembre-se de que a imagem que você passa, o branding pessoal, tem muito valor para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Por isso, evite roupas muito curtas, decotes que mostrem demais, peças transparentes ou blusas em que a sua barriga apareça.

#4. Quer se vestir bem no trabalho? Foque na parte de cima

Uma dica para se vestir bem no trabalho que pode ser um pulo do gato é focar na parte cima. É um truque muito simples: dê mais atenção às peças que você vai usar da cintura para cima. Ou seja, blusas e camisas, casacos e, claro, acessórios em geral.

Isso porque, geralmente, as pessoas passam muito tempo sentadas no trabalho. Com isso, o mais comum é que seus colegas vejam você sempre atrás de uma mesa, com a parte de cima em destaque.

Então, principalmente naqueles dias em que a preguiça falar mais alto, mas você não quiser abrir mão de se vestir bem no trabalho, uma dica é caprichar na parte de cima e deixar o restante mais básico: não tem erro!

#5. Invista em acessórios

Os acessórios são peças fundamentais para compor looks e se vestir bem no trabalho. De novo, voltando aos dias em que a gente não está muito inspirada para montar os looks, é possível usar roupas mais básicas, para não errar, e apostar em acessórios para valorizar a produção.

#6. Maquiagem também conta!

Maquiar-se é outro recurso muito importante na hora de se vestir de maneira que se sinta confiante. E, nesse sentindo, também é bom levar em consideração o dress code da sua empresa. Algumas não permitem certas cores de esmalte ou batom vermelho, por exemplo.

Então, fique de olho no estilo que o ambiente do seu trabalho pede e escolha cores e tons que combinem com a sua pele. O ideal é não exagerar. Ainda assim, dá para usar de tudo: sombra, máscara para cílios, blush, batom...

#7. Nos pés, aposte no conforto

No trabalho, você precisa se concentrar e dar o seu melhor, certo? E nada pior do que passar o dia com os pés doendo, seja por estar com um sapato apertado, que faz calo ou machucou alguma parte enquanto você andava.

Por isso, uma dica para se vestir bem no trabalho é apostar no conforto dos seus pés. Isso não deve excluir os saltos do seu armário. Porém, escolha aqueles que não te machuquem. E nos dias em que bater o cansaço, aposte na boa e velha sapatilha básica!

 

E se, meso depois dessas dicas, você ainda tiver dúvidas sobre como se vestir bem no trabalho, ou como passar uma imagem segura e positiva para construir seu branding pessoal, lembre-se que é possível buscar uma consultoria de imagem e estilo para te ajudar! Entre em contato!

Mas afinal, o que uma consultora de imagem e estilo faz?

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

14.05.18

As consultorias de imagem e estilo estão se tornando mais comuns no Brasil, mas ainda não estão tão difundidas quanto nos Estados Unidos ou em países da Europa. E por desconhecer como elas funcionam, muita gente acha que esse é um serviço que não está ao alcance da maioria das pessoas.

A verdade é que uma consultoria de imagem e estilo não é só para pessoas ricas e famosas. E nem tem a ver só com a escolha de looks e a orientação para comprar novas peças.

Os preços de uma consultoria de imagem e estilo não são inacessíveis e os benefícios são muitos - e duradouros. Estimular o autoconhecimento e a autoconfiança são só alguns dos papeis de uma consultora de imagem.

Para entender melhor o que uma consultora de imagem e estilo faz, preparei alguns tópicos importantes mostrando como uma consultoria funciona, os desafios da profissão, como entrar nesse ramo ou contratar os serviços. Confira!

Como funciona uma consultoria de imagem de estilo?

Como já citei, o trabalho não envolve só uma mudança na maneira como a cliente se veste, mas também em outros aspectos de sua vida, como o comportamento.

É um trabalho para ajudar as pessoas a se conhecerem e a serem vistas pelos outros da maneira como acham mais apropriado. Com a consultoria certa, você pode entender quais aspectos precisa mudar ou aprimorar para alcançar objetivos pessoais e profissionais.

Mudar de emprego, conseguir uma promoção, melhorar os relacionamentos pessoais e até encontrar um amor: tudo isso pode ficar mais fácil com a ajuda de uma consultora que entenda seus objetivos, faça a leitura correta da sua imagem e do seu comportamento, e consiga te orientar pelo caminho certo até os seus objetivos.

O serviço também envolve a ajuda para montar looks que façam a pessoa se sentir segura. Para isso, primeiro é preciso conhecê-la, entender seus objetivos, sua rotina e preferências.

Nessa fase, é importante por em prática técnicas de visagismo para conhecer as cores certas para a pessoa. Identificar o formato do corpo para saber quais peças são mais indicadas também é fundamental.

Sabendo disso, é hora de conhecer seu guarda-roupa para eliminar o que não combina com o novo estilo, e saber o que está faltando e precisa ser comprado.

Cabelo e maquiagem também são tratados durante a consultoria de imagem e estilo. É preciso saber quais cores de maquiagem são ideais, quais penteados caem melhor, e tudo isso ornando com o formato do rosto da pessoa, a fim de construir uma imagem harmoniosa.

Além disso, é preciso haver bastante conversa e troca de informações para que haja uma boa orientação sobre a maneira de agir e falar, para entender se está de acordo com a imagem que a cliente quer passar e, se não, o que precisa ser trabalhado.

Desafios de uma consultora de imagem e estilo

O que uma consultora de imagem e estilo faz

Oferecer consultoria de imagem e estilo requer habilidades em diferentes campos que vão desde a psicologia até a moda. Claro que você não precisa ter formação superior nessas áreas, mas certamente expandir seus conhecimentos vai ser fundamental, e um dos maiores desafios da profissão.

O trabalho requer empatia, simpatia, percepção aguçada, conhecimentos de moda e estilo, bom senso e, claro, bom gosto.

O conhecimento necessário pode ser adquirido por meio de cursos, como de técnicas de visagismo, análise de cores pessoais ou ainda um de Personal Colors Makeup, por exemplo.

Conseguir clientes também pode ser desafiador em um primeiro momento. Esteja em contato com pessoas do ramo e comece oferecendo seus serviços a pessoas próximas, que já te conheçam, confiem em você e, certamente, iriam recomendar seu trabalho.

Como ser uma consultora de imagem e estilo?

Quem topa os desafios de ser uma consultora de imagem e estilo precisa começar buscando conhecimento. Eu atuo nessa área há mais de 15 anos e já formei mais de 300 pessoas nos cursos profissionalizantes que ofereço. Eles podem ser presenciais e online, o que facilita quem não tem muito tempo para se dedicar, e certamente vão te ajudar muito nessa nova empreitada.

Inclusive, você pode optar pelo Curso para Formação de Consultora de Imagem e Estilo, se você ainda estiver dando seus primeiros passos na profissão. Ele é bastante completo e vai te ajudar não só a montar um novo guarda-roupas para a sua cliente, mas também na análise do biotipo, incluindo a proporção corporal e a estrutura, além do tom de pele, formato do rosto e personalidade.

Como contratar uma consultora de imagem?

Agora, se você acha que precisa mesmo é de uma consultoria de imagem e estilo, eu também posso te ajudar com meus conhecimentos e experiência. Já trabalhei na transformação de mais de 400 pessoas, que hoje estão felizes e realizadas.

Entre em contato ou navegue pelo site para conhecer cursos pessoais presenciais e online que ofereço!

O valor de uma imagem pessoal segura e positiva

Posted by Nana in 1, Profissional | 0 comments

07.05.18

Com certeza você sabe da importância do marketing para ajudar as empresas, grande ou pequenas, a construir uma imagem forte, segura e positiva, criar uma reputação sólida, ajudar a marca a crescer e, claro, vender mais. Mas você sabia que tudo isso pode ser aplicado em sua vida pessoal, te ajudando até mesmo a crescer profissionalmente? Passar uma imagem pessoal segura e positiva é uma das etapas para ter sucesso com o branding pessoal, ou seja, a construção da sua própria imagem. E não confunda: para construir uma marca pessoal forte você não precisa se vender o tempo inteiro, pois não se trata de uma publicidade, e sim de como as pessoas naturalmente te percebem. O valor de uma imagem pessoal segura e positiva pode aparecer em muitos momentos da sua vida. Na hora de escolher um membro da equipe para promover, por exemplo, seu líder certamente vai levar em consideração não só o resultado que você entrega, mas também como você se apresenta. Esse é só um exemplo de como investir no branding pessoal pode mudar a sua vida. Confira algumas dicas para descobrir em quais pontos trabalhar para ter uma imagem pessoal segura e positiva e, depois, como agir para, enfim, construir seu branding pessoal.

Como saber o que melhorar para ter uma imagem pessoal segura e positiva?

Você pode perceber que precisa avançar em alguns aspectos para ter sucesso profissional, ou simplesmente melhorar sua vida pessoal. Mas nem sempre consegue perceber sozinho quais são esses pontos, ou como fazer para melhora-lhos. Comece conversando com amigos e familiares, fazendo perguntas do tipo "quais são meus pontos fortes e em que preciso melhorar?", ou ainda "para que você pediria a minha ajuda?". Com base nessas respostas, você já vai ter algum material para trabalhar. Imagem pessoal

Vista-se de acordo com a posição que quer ocupar, profissional ou pessoalmente

Não é preciso usar roupas e acessórios caros para se vestir de maneira segura e positiva. Mas alguns ajustes no seu visual podem ajudar na construção da sua imagem. No trabalho, por exemplo, se você almeja um cargo de coordenação ou gerência, observe como esses gestores se vestem e se comportam na sua empresa, e tente se apresentar de maneira semelhante. Na vida pessoal, se você quer passar uma imagem mais receptiva ou menos agressiva, também é possível começar essa mudança de percepção através da maneira como se veste. Aqui, serve a mesma dica: espelhe-se em quem você acredita ser um bom exemplo de quem quer ser. Caso tenha dificuldades, pode procurar uma consultoria de imagem, ou cursos que te auxiliem.

Não deixe de lado a sua personalidade

O tópico anterior pode parecer um pouco radical. A verdade é que você não precisa "copiar" ninguém, e nem abrir mão de quem realmente é para passar a imagem que deseja. Valorize o que você tem de melhor e busque inspiração em outras pessoas que te sirvam de referência. Mas nunca abra mão de quem você é. Na hora de se vestir, por exemplo, é possível encontrar as cores certas para cada tom de pele através de técnicas de visagismo. Assim, você consegue passar uma imagem pessoal segura e positiva, usando elementos que combinam com você e com a sua personalidade.

Mostrar-se é outro caminho para passar uma imagem pessoal segura e positiva

Quando falo em se mostrar, há várias maneiras de fazer isso, e não são nada difíceis. Uma tendência nas empresas atualmente é o marketing de conteúdo, que foca na produção de conteúdo útil para o público, como parte da construção da imagem da marca. Você pode fazer o mesmo com a sua imagem pessoal. Nesse caso, o marketing de conteúdo pode ser através das redes sociais. Aqui, também vale ficar de olho em como as pessoas que te inspiram agem online. Uma ideia é falar de assuntos interessantes que sejam relacionados a sua profissão no LinkedIn. Certos comentários e fotos também podem ser evitadas ou substituídas por outras que passem uma imagem pessoal mais segura e positiva do que antes. Mostrar-se também a ver com o networking que você faz. Seja agradável no ambiente de trabalho, cumprimente as pessoas, almoce com colegas de trabalho, evite comentários maldosos sobre os outros, e não se esqueça dos momentos fora do horário do expediente: participe de happy hours e encontros marcados fora do trabalho.

Aja como líder

Mesmo que você não ocupe uma posição de liderança, é importante que seus colegas e superiores te vejam como uma referência no time. Claro que você não vai passar por cima das decisões do seu chefe, ou dar ordens aos outros membros da equipe, mas pequenas atitudes podem te ajudar a se tornar uma peça central. Uma delas está ligada à resolução de problemas. Esteja pronto para ajudar a equipe na hora que algo der errado. Contribua com ideias e ofereça ajuda no que for possível. Mostrar-se disponível é fundamental nessa hora. Ser proativo também é uma maneira de passar uma imagem pessoal segura e positiva. Não espere os problemas acontecerem para resolver. Se estiver vendo que algo pode dar errado mais à frente, comunique aos seus superiores e coloque-se à disposição para solucionar o que for preciso. Outra é dica é sempre tentar ser positivo, seja quanto ao trabalho ou quanto às pessoas. É comum ouvir muitas reclamações no ambiente corporativo. Mas essa não é uma postura esperada de um líder. Embora conheça os problemas da companhia ou de seus colegas, evite criticá-los. E se alguém vier indagá-lo sobre esses assuntos, tente mostrar o ponto de vista positivo. E então, o que achou das dicas que eu trouxe sobre imagem pessoal? Conte sua opinião pelos comentários!